Você sabe diferenciar as despesas de sua escola?

Você sabe diferenciar as despesas de sua escola?

O bom andamento da parte financeira da sua instituição é fundamental para que todos os outros setores também caminhem bem. Nesse sentido, entender as despesas, os custos e os gastos da sua instituição é o passo inicial para alcançar uma boa gestão financeira e nós, da Sponte, te ajudamos a diferenciar esses três conceitos para gerir melhor sua instituição. Acompanhe a leitura e confira!

1. O que são as despesas?

Despesa é toda receita utilizada para manter a escola e garantir seu bom funcionamento. São exemplos: contas em geral (água e energia, por exemplo); verbas direcionadas a ações de marketing; compra de materiais, reformas e compra de aparelhos, entre outras. Elas podem ser divididas em fixas e variáveis e, ainda, em custos e gastos – dos quais falaremos no próximo item.

As despesas fixas são aquelas que não mudam independente do número de alunos atendidos ou dos serviços oferecidos – como, por exemplo, as despesas com aluguel, materiais didáticos e folha de pagamento. Já as despesas variáveis são aquelas que variam dependendo do mês e dos serviços – como os investimentos em estratégias de marketing, comissões de funcionários, realização de eventos, etc.

2. O que são os custos?

Os custos são todas as despesas necessárias para que a escola consiga oferecer seus serviços. Ou seja, é o dinheiro que sem o qual a instituição não consegue manter seu funcionamento.

Aqui encaixa-se, além das despesas recorrentes – como pagamentos de contas e funcionários -, toda a verba destinada a reter os alunos atendidos e, consequentemente, ao aperfeiçoamento dos serviços prestados – como a contratação de novos serviços, melhorias no espaço escolar, etc.

3. O que são gastos?

Já o gasto é toda a verba utilizada que não estava no planejamento mensal e, consequentemente, não foi acrescentada ao preço dos serviços prestados.

Aqui se encaixa todo o dinheiro gasto em consertos, substituição de materiais/produtos com defeito, assistência técnica, etc.

Os gastos, embora imprevisíveis, podem ser retirados de uma verba fixa destinada a eles. Por exemplo, pode-se reservar mensalmente uma porcentagem dos lucros para ser utilizada em casos de emergências – como a quebra de um equipamento essencial que precisa ser consertado ou algum problema de estrutura que surgiu repentinamente (cano furado, problemas de eletricidade, etc) – e, assim, garantir que não haja uma lacuna nas finanças em meses atípicos.

A partir da diferenciação das despesas da sua escola é possível ter maior controle sobre o fluxo de caixa, planejar estratégias bem definidas, antever problemas e ter uma gestão financeira mais eficiente. Nesse sentido, um sistema de gerenciamento escolar pode otimizar sua gestão. Além de automatizar diversas tarefas, um software organiza melhor os processos e te ajuda a diferenciar de forma mais rápida e prática as despesas da sua instituição.

O software de gestão desenvolvido pela Sponte conta com todas as ferramentas necessárias para que você ganhe tempo e aumente sua produtividade nas tarefas relacionadas ao gerenciamento administrativo, pedagógico e financeiro de sua instituição. Entre em contato conosco e saiba como o Sponte pode te ajudar!

Queremos saber da sua experiência! Na sua escola, a equipe financeira já trabalha com diferenciação das despesas? Você tem dificuldades para gerir corretamente a verba da instituição? Deixe seu comentário!

Conte sempre com o Sponte, seu software de gestão educacional!

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *