três meninas sentadas em roda lendo livros

Sua instituição funcionará em julho? Saiba como implantar a colônia de férias para seus alunos

O período do recesso escolar de julho pode deixar muitos pais preocupados, principalmente os que trabalham o dia todo, já que não podem ficar com suas crianças enquanto elas estiverem de férias. Assim, eles buscam como uma alternativa as colônias de férias que a própria escola pode oferecer.

inciativa importante tanto para o relacionamento entre escola e família – que ganha pela praticidade em deixar seus filhos em um local em que já confia – quanto para a escola, que se destaca comercialmente pela facilidade oferecida. Além disso, os alunos também são beneficiados, já que podem permanecer em um local seguro, educativo e divertido para passar uma parte de suas férias.

Pensando nisso, nós da Sponte separamos algumas dicas para que sua instituição saiba como implantar uma colônia de férias no período de recesso. Confira!

Faça a divisão das crianças por faixa etária

O comportamento e os gostos de uma criança podem mudar muito de acordo com sua idade. Por isso, é recomendável que as crianças que estiverem presentes na colônia de férias sejam separadas por faixa etária, para que cada grupo possa receber as atividades recomendadas. Por exemplo, um grupo de crianças de 0 a 6 anos, um segundo grupo de 7 a 11 anos e um outro com de crianças acima de 12.

Realizar esta divisão é uma forma de deixar os pais tranquilos por saberem que seus filhos estão brincando com crianças de sua idade ou de uma idade próxima, além de tornar o monitoramento dos alunos pela equipe responsável mais adequado.

Planeje quais serão as atividades

Em uma colônia de férias é possível esquematizar diversas atividades, como gincanas, passeios ecológicos ou em museus, brincadeiras que envolvam a criatividade, jogos recreativos e/ou esportivos, apresentações de teatro, contação de histórias, entre outras. A escola deve escolher as atividades que caibam em seu planejamento – financeiro e estratégico – e em seu espaço.

Atividades que estimulam a criatividade e a diversão são as mais recomendadas, já que é uma forma de agradar e atrair as crianças, além de deixá-las mais à vontade no espaço escolar. É importante que as crianças entendam que, apesar de estarem na escola, não estão estudando, mas fazendo algo divertido.

Depois de ter as atividades decididas, é preciso comunicar a decisão para os pais e responsáveis a fim de que eles estejam informados sobre o que acontecerá com seus filhos em cada momento do dia.

Escolha os profissionais certos

Não é apenas o espaço da escola que precisa ser aparelhado para implantar uma colônia: os profissionais responsáveis também devem estar preparados para acolher as crianças nesse período. Caso a escola contrate serviços de recreação terceirizados, optar por empresas experientes e com boas recomendações no meio escolar é fundamental – afinal, essas pessoas serão responsáveis pelo acompanhamento dos alunos e precisam estar preparados para todas as brincadeiras e para possíveis emergências, como machucados ou caso uma criança passe mal.

Além da equipe que ficará responsável pelas brincadeiras e acompanhamento das crianças, funcionários de outras áreas também serão necessários, como cozinheiros e profissionais da limpeza, garantindo uma alimentação saudável e um ambiente limpo e organizado para as crianças nesse período.

Se a sua escola possui estrutura para a implantação de uma colônia de férias, sem dúvida esse investimento irá trazer retornos positivos para pais, alunos e a própria instituição. Sua escola já promoveu uma colônia de férias? Como foi a experiência? Tem alguma dica que não está neste artigo? Conte nos comentários!

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *